sexta-feira, 4 de março de 2011


Meu Deus, não sou muito forte, não tenho muito além de uma certa fé - não sei se em mim, se numa coisa que chamaria de justiça cósmica ou a coerência final de todas as coisas. Preciso agora da tua mão sobre a minha cabeça. Que eu não perca a capacidade de amar, de ver, de sentir… Que eu não me perca, que eu não me fira, que não me firam, que eu não fira ninguém.
Caio F. Abreu

Um comentário:

Marcélia Macidália disse...

Ai o maravilhoso Caio Fernando de Abreu sempre intenso, mesmo que seja em poucas palavras.
Adorei o teu espaço. Voltarei mais vezes. você tem muito bom gosto literário.

Um beijo